ESG na prática.

Ano passado a The Green Hub lançou em parceria com a empresa de consultoria estratégica Nossa Terra Firme o Relatório Integrado ESG do ciclo 2021~2022 visando mostrar o que está sendo feito na prática pela nossa empresa para contribuir com práticas ESG não só no Brasil, mas na América Latina. Acreditamos que reforçar a vocação ESG do setor é avançar na luta contra os preconceitos que impedem a popularização e o acesso aos tratamentos com cannabis medicinal, a mitigação dos conflitos sociais relacionados a políticas proibicionistas e combater a desinformação sobre a produção científica disponível sobre estas questões.

Mas, na prática, o que significa apoiar práticas ESG e qual é o impacto disso? Iremos trazer neste texto um pequeno resumo deste relatório ao mesmo tempo que convidamos para que você, estimade leitor, se aprofunde neste tema tão importante.

Na carta que abre o relatório nosso CEO Marcel Grecco pontua a importância de colocarmos em prática os discursos que elevam a esperança de um futuro melhor: “Temos a oportunidade única, os recursos e o conhecimento para dar escala às boas práticas e, mais do que isso, planejar estrategicamente o futuro sustentável do Brasil apoiado nos pilares da nossa agenda: Promoção à saúde, Justiça Climática e Reparação Histórica. Precisamos fazer as escolhas certas agora e começar a redirecionar os investimentos para uma economia em que não haja controvérsias entre produzir e preservar.”

A mudança climática agora lidera a lista das questões ESG mais importantes, de acordo com uma pesquisa com investidores privados pela Associação de Empresas de Investimento, com 56% dizendo que isso é importante para eles. O problema é seguido por Transparência e divulgação (51%), Poluição (46%) e Direitos humanos (43%).

A The Green Hub está comprometida em fazer da cannabis um instrumento para contribuir com a superação de problemas sociais e ambientais que atingem profundamente a nossa sociedade. Não se trata de resolver todos os problemas mundiais, mas de dar uma contribuição robusta dentro das possibilidades do ecossistema de cannabis para posicioná-lo na vanguarda do ESG. Para nós, ESG não deve ser um simples exercício de compliance à legislação local ou a melhores práticas, mas sim uma posição vigorosa e ativista rumo ao impacto positivo em cada uma das pautas representadas nesta sigla – os campos social, ambiental e de governança.

Promoção da saúde e bem-estar é ESG na prática quando foca na promoção da saúde, e não na cura de doenças, difundindo, popularizando e aumentando o acesso a estas práticas de saúde integrativa, que interajam com os princípios ativos medicinais da cannabis. Acreditamos em um futuro em que todes possam ter a necessidade de suplementar suas práticas de promoção da saúde através da cannabis, ter acesso a esta solução independentemente de sua realidade socioeconômica, identidade racial, de gênero ou outros fatores de vulnerabilidade social.

Justiça climática é ESG na prática quando nos co-responsabilizamos pelo estado de emergência socioambiental que o mundo se encontra e tomamos atitudes. A The Green Hub entende também que esta emergência socioambiental atinge de forma desproporcional populações mais vulneráveis – sejam povos minorizados por sua raça, identidade de gênero, condição socioeconômica ou pertença ao Sul Global. O cultivo de cannabis e cânhamo tem em seu processo de legalização implicações para a configuração do uso da terra e recursos energéticos em todo o mundo, especialmente em biomas tropicais. Com isto, vem a responsabilidade da escolha entre reforçar um status quo produtivo que violente as florestas e os povos tradicionais, ou de criar novos caminhos, novas éticas e novas lógicas agrícolas e agroindustriais que contribuam para a descarbonização da economia, para a proteção das florestas e de seus habitantes.

Reparação Histórica é ESG na prática quando compreendemos que os efeitos prejudiciais do atual cenário regulatório recaem de forma mais profunda e definitiva sobre as populações mais vulnerabilizadas no processo colonial que atingiu o Brasil e a América Latina. A The Green Hub, após um intenso período de proibicionismo, compreende que é um dever ético das indústrias que estabilizarem neste ramo que contribuam para a reparação de danos provocados pelo racismo, pela desigualdade social, pela desigualdade de gênero e demais sintomas de ideologias excludentes presentes em nossos territórios, instituições e governos. No caso específico da cannabis, é urgente que as empresas do ramo se mobilizem por ações afirmativas, pela recolocação profissional de pessoas egressas do sistema prisional, pelo combate ao encarceramento em massa e outras pautas alinhadas com a noção de reparação histórica.

Acreditamos que discutir a inovação em ESG no setor da cannabis é também discutir novos arranjos de cooperação entre pessoas de diferentes idades, diferentes histórias, rumo a um futuro de cooperação conjunta onde ninguém seja descartado ou descartável. Trabalha mos para construir um ecossistema de cannabis onde haja espaço para a experiência dos mais seniores e para o pensamento disruptivo dos mais jovens, quebrando estereótipos em prol da construção de causas e oportunidades que beneficiem a todos.

Dadas as características ambientais da Cannabis, seus possíveis estilos de cultivo e de usos, a ressignificação desta planta a nível mundial é apontada por especialistas como sendo capaz de contribuir para 64 das 169 metas e 15 dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Se considerarmos as contribuições diretas que o ecossistema da The Green Hub tem aportado no cenário atual, podemos relacionar a atuação da plataforma nos seguintes ODS:

A indústria da cannabis reúne pessoas inovadoras, conscientes de seu dever cívico, comprometidas com a popularização de um cultivo positivo e necessário para o cuidado de saúde de milhares de pessoas. Iniciativas ESG como estas permitem que, cada vez mais, a comunidade de negócios mundial possa compreender a vocação cívica de nossos negócios, e a seriedade de nossos compromissos sociais e ambientais. Convidamos a todes a continuar acompanhando o desenvolvimento de nossas estratégias de impacto ESG (leia nosso relatório!) e a participar deste movimento global rumo à geração de impacto socioambiental positivo no mundo dos negócios. Até o próximo texto do Blog da TGH!

Com informações do Portal Sechat e MJBizdaily Por Marc Ross

EnglishPortugueseSpanish